Ocorreu um erro neste gadget

Aguardando seu contato

sábado, 22 de outubro de 2016

ANTES DE SERVIR (Lei do Trabalho)





“Bem como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir.” – Jesus (Mt, 20:28)

Em companhia do espírito de serviço, estaremos sempre bem guardados. A Criação inteira nos reafirma esta verdade com clareza absoluta.

Dos reinos inferiores às mais altas esferas, todas as coisas servem a seu tempo.

A Lei do trabalho, com a divisão e a especialização nas tarefas, prepondera nos mais humildes elementos, nos variados setores da Natureza.

Essa árvore curará enfermidades, aquela outra produzirá frutos. Há pedras que contribuem na construção do lar; outras existem calçando  os caminhos.

O Pai forneceu ao filho homem a casa planetária, onde cada objeto se encontra em lugar próprio, aguardando somente o esforço digno e a palavra de ordem, para ensinar à criatura a arte de servir. Se lhe foi doado a pólvora destinada à libertação da energia e se a pólvora permanece utilizada por instrumentos de morte aos semelhantes, isto corre por conta do usufrutuário da moradia terrestre, porque o Supremo Senhor em tudo sugere a prática do bem, objetivando a elevação  e o enriquecimento de todos os valores do Patrimônio Universal.

Não olvidemos que Jesus passou entre nós, trabalhando. Examinando a natureza de sua cooperação sacrificial e aprendamos com o Mestre a felicidade de servir santamente.

Podes começar hoje mesmo. 

Uma enxada ou uma caçarola constituem excelentes pontos de início. Se te encontras enfermo, de mãos inabilitadas para a colaboração direta, podes principiar mesmo assim, servindo na edificação moral de teus irmãos.

Emmanuel

Pão Nosso – lição 4 -  psicografia de Francisco Cândico Xavier (Chico Xavier)

quarta-feira, 12 de outubro de 2016

PROPRIEDADES



Estava aqui pensando quantas coisas tenho... E quanto mais quero... Não acontece somente comigo, somos todos bombardeados com propagandas que nos instigam a achar que precisamos cada vez mais...

Vamos ao shopping e nos encantamos com suas vitrines e compramos, mesmo não precisando... Temos bens materiais e sempre sonhamos em ter mais... Disto se alimenta o marketing  nos levando a querer sempre mais. Diria uma amiga, é o capitalismo rsrsrs...

Agora pergunto... É errado estarmos vivendo no meio deste consumismo?

Não.

Faz parte do progresso, faz parte de nossa evolução, desenvolve nossos potenciais. Porém a espiritualidade sempre nos adverte, faça  bom uso das propriedades,  usar e não abusar. Porque todo excesso é prejudicial.

Trago um texto de Emmanuel onde somos alertados sobre esse assunto.

Bom estudo

Ensinem as crianças! Aproveite a historinha da formiga e cigarra.

Elaine Saes


PROPRIEDADES


“E o mancebo, ouvindo esta palavra, retirou-se triste, porque possuía muitas propriedades.”
( Mt 19:22.)


O instinto de propriedade tem provocado grandes revoluções, ensanguentando os povos. Nas mais diversas regiões do planeta respiram homens inquietos pela posse material, ciosos de suas expressões temporárias e dispostos a morrer em sua defesa.

Isso demonstra que o homem ainda não aprendeu a possuir.

Com esta argumentação, não desejamos induzir a criatura a esquecer  a formiga previdente, adotando por modelo a cigarra descuidada. Apenas convidamos a que nos lê, a examinar a precariedade das posses efêmeras.

Cada conquista terrestre deveria ser aproveitada pela alma, como força de elevação.

O homem ganhará impulso santificante, compreendendo que só possui verdadeiramente aquilo que se encontra dentro dele, no conteúdo espiritual de sua vida. Tudo o que se relaciona com o exterior de sua vida. Tudo o que se relaciona com o exterior.

- como sejam: criaturas, paisagens e bens transitórios – pertencem a Deus, que lhos concedera de acordo com seus méritos.

Essa realidade sentida e vivida constitui brilhante luz no caminho, ensinando ao discípulo a sublime lei do uso, para que a propriedade não represente fonte de inquietação e tristeza, como acontece ao jovem dos ensinamentos de Jesus.

Emmanuel
Caminho Verdade e Vida – F.C .X

AFIRMAÇÃO:

"ENRIQUEÇO- ME COM VALORES MORAIS, USUFRUINDO COM ALEGRIA TODOS OS BENS QUE O PAI ME EMPRESTA."

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

DISCÍPULOS DO CRISTO




Estava lendo a mensagem "Discípulos de Cristo" e achei muito oportuna para usar na evangelização como texto de apoio.

De uma forma ilustrativa podemos passar para as crianças uma compreensão da prece "Pai Nosso" levando todas à reflexão, pois elas conseguirão fazer uma associação com o dia-a-dia

Trabalhando assim, com todas as mensagens, estaremos  auxiliando as crianças a usarem a razão e a emoção de uma forma simples e clara. Eis o grande desavio da vida!

Leiam e sintam a mensagem!

Bom estudo.

Elaine Saes


Cap. VI – Item 3
Somos discípulos do Cristo.
Mas, repetindo com Ele a sublime afirmação:- “Pai nosso que estais no céu”. Esperamos que Deus se transforme em nosso escravo particular, atento às nossas ilusões e caprichos.

Somos discípulos do Cristo.
Contudo, redizendo junto a Ele as inesquecíveis palavras de submissão ao Criador:- “Seja feita a vosso a vontade”, assemelhamo-nos a vulcões de imprecações, sempre que nos sintamos contrariados na execução de pequeninos desejos.

Somos discípulos do Cristo.
Entretanto, refazendo com Ele a súplica ao Pai de Infinito Amor:- “o pão de cada dia dai-nos hoje”, reclamamos a carcaça do boi e a safra do trigo exclusivamente para a nossa casa, esquecendo-nos de que, ao redor de nossa mesa insaciável, milhares de companheiros desfalecem de fome.

Somos discípulos do Cristo.
Todavia, depois de implorar com o Sábio Orientador à Eterna Justiça: - “perdoai as nossas dívidas”, mentalizamos, de imediato, a melhor maneira de cultivar aversões e malquerenças, aperfeiçoando, assim, os métodos de odiar os fortes e oprimir os mais fracos.

Somos discípulos do Cristo.
No entanto, mal acabamos de pedir a Deus, em companhia do Grande Benfeitor:- “Não nos deixeis cair em tentação”, procuramos, por nós mesmos, aprisionar o sentimento nas esparrelas do vício.

Somos discípulos do Cristo.
Contudo, rogando ao Todo-Poderoso, junto do Inefável Companheiro:- “livrai-nos de todo mal”, construímos canhões e fabricamos bombas mortíferas para arrasar a vida dos semelhantes.

Somos discípulos do Cristo.
Mas convertemos o próximo em alimária de nossos interesses escuros, olvidando o dever da fraternidade, para desfrutarmos, no mundo a parte do leão.

É por isso que somos, na atualidade da Terra, os cristãos incrédulos, que ensinam sem crer e pregam sem praticar, trazendo o cérebro luminoso e o coração amargo.

E é assim que, atormentados por dificuldades e crises de toda espécie – aflitiva colheita de velhos males -. Cada qual de nós tem necessidade de prosternar-se perante o Mestre Divino, à maneira do escriba do Evangelho, guardando n’alma o próprio sonho de felicidade, enfermiço ou semimorto, a exorar em contraditória rogativa: 

-”Senhor, eu creio! Ajuda a minha incredulidade!”.

Jacinto Fagundes

Livro O Espírito da Verdade – Espíritos Diversos - F.C.X. – Waldo Vieira




quinta-feira, 21 de julho de 2016

O Valor das Pequenas Coisas


Como é importante ajudarmos as crianças a crescerem espiritualmente, facilitando o trabalho do auto-conhecimento que todos temos que ter.

O texto psicografado que trago, fala sobre a importância de valorizar as pequenas coisa. Vivemos numa era digital, e é preciso trazer a mente da criança para o simples... é preciso mostrar o amor do Pai e ensina-la que o grande segredo da vida é valorizar o pequeno como o grande e amar a tudo e a si mesmo.

É um texto que poderá ser adaptado para diferentes faixas etárias.

Elaine Saes


"... os membros do corpo que parecem ser os mais fracos são necessários". I Coríntios 12:22

Todos são peças importantes para o funcionamento do organismo universal. Ninguém ou nenhum trabalho seja desprezado.

Já nos foi dito que nenhum fio de cabelo cai da cabeça sem que o Todo-Sábio tenha dele conhecimento, e certo filósofo asseverou, no passado, que não se pode ferir uma grama no campo sem afetar a estrela mais distante.

A humanidade caminha cada vez mais rápido para fases mais adiantadas de progresso.Por necessidade da sociedade humana, os conceitos de globalização alcançam mais e mais adeptos, facilitando o cotidiano de muitos. Contudo, não há que desprezar o trabalho dos outros, não há que invalidar aqueles que são julgados menores. Todos têm sua importância para que haja harmonia.

O corpo que vos serve de instrumento para a caminhada no mundo guarda um exemplo vivo de como todos têm o seu papel e como são importantes para a comunidade.

O que seria do corpo sem os pés que andam sobre a Terra? Como o homem atuaria sem as suas mãos? Serrá que o cérebro ou o coração merecem mais respeito do que a lingua?

Somos parte de um organismo universal e estamos ligados às estrelas através de tênues fios de amor.

É preciso sensibilidade para valorizar as pequenas coisas. Tudo tem um objetivo, Todo homem tem o seu valor.

Mas, levando o nosso raciocínio para campos mais amplos, podemos ver também a necessidade e o valor de outra comunidades, de outras organizações, de outras religiões e filosofias, e não somente daquilo que julgamos acertado.

Não se esqueça o homem de que o seu ponto de vista é apenas um ponto de vista, e não a espressão máxima da verdade.

Por isso, convém procurarmos nas pequenas como nas grandes coisas o seu valor, que muitas vezes se acha escondido. E, não raros, vemos que aquilo, aquele ou a situação que julgamos de maior importância perde o seu valor diante das pequenas coisas feitas com amor.
Alex Zarthúr - Robson Pinheiro - Livro Serenidade cap 21

quinta-feira, 30 de junho de 2016

“Nunca tivemos uma geração tão triste” - Augusto Cury




Augusto Cury, o famoso psiquiatra que tem livros publicados em mais de 70 países e dá palestras para multidões no Brasil e lá fora, lançou recentemente uma versão para crianças e adolescentes do seu best-seller
 Ansiedade - Como Enfrentar o Mal do Século.
O autor conversou sobre os desafios de se criar os filhos hoje e não poupou críticas à maneira como a família e a escola têm educado os pequenos. Confira!

Excesso de estímulos
“Estamos assistindo ao assassinato coletivo da infância das crianças e da juventude dos adolescentes no mundo todo. Nós alteramos o ritmo de construção dos pensamentos por meio do excesso de estímulos, sejam presentes a todo momento, seja acesso ilimitado a smartphones, redes sociais, jogos de videogame ou excesso de TV. Eles estão perdendo as habilidades sócio-emocionais mais importantes: se colocar no lugar do outro, pensar antes de agir, expor e não impor as ideias, aprender a arte de agradecer. É preciso ensiná-los a proteger a emoção para que fiquem livres de transtornos psíquicos. Eles necessitam  gerenciar os pensamentos para prevenir a ansiedade. Ter consciência crítica e desenvolver a concentração. Aprender a não agir pela reação, no esquema 'bateu, levou', e a desenvolver altruísmo e generosidade.”
Geração triste
“Nunca tivemos uma geração tão triste, tão depressiva. Precisamos ensinar nossas crianças a fazerem pausas e contemplar o belo. Essa geração precisa de muito para sentir prazer: viciamos nossos filhos e alunos a receber muitos estímulos para sentir migalhas de prazer. O resultado: são intolerantes e superficiais. O índice de suicídio tem aumentado. A família precisa se lembrar de que o consumo não faz ninguém feliz. Suplico aos pais: os adolescentes precisam ser estimulados a se aventurar, a ter contato com a natureza, se encantar com astronomia, com os estímulos lentos, estáveis e profundos da natureza que não são rápidos como as redes sociais.”
Dor compartilhada
“É fundamental que as crianças aprendam a elaborar as experiências. Por exemplo, diante de uma perda ou dificuldade, é necessário que tenham uma assimilação profunda do que houve e aprender com aquilo. Como ajudá-las nesse processo? Os pais precisam falar de suas lágrimas, suas dificuldades, seus fracassos. Em vez disso, pai e mãe deixam os filhos no tablet, no smartphone, e os colocam em escolas de tempo integral.
Pais que só dão produtos para os seus filhos, mas são incapazes de transmitir sua história, transformam seres humanos em consumidores. É preciso sentar e conversar: ‘Filho, eu também fracassei, também passei por dores, também fui rejeitado. Houve momentos em que chorei’. Quando os pais cruzam seu mundo com os dos filhos, formam-se arquivos saudáveis poderosos em sua mente, que eu chamo de janelas light: memórias capazes de levar crianças e adolescentes a trabalhar dores perdas e frustrações.”

Intimidade
“Pais que não cruzam seu mundo com o dos filhos e só atuam como manuais de regras estão aptos a lidar com máquinas. É preciso criar uma intimidade real com os pequenos, uma empatia verdadeira. A família não pode só criticar comportamentos, apontar falhas. A emoção deve ser transmitida na relação. Os pais devem ser os melhores brinquedos dos seus filhos. A nutrição emocional é importante mesmo que não se tenha tempo, o tempo precisa ser qualitativo. Quinze minutos na semana podem valer por um ano. Pais têm que ser mestres da vida dos filhos. As escolas também precisam mudar. São muito cartesianas, ensinam raciocínio e pensamento lógico, mas se esquecem das habilidades sócio-emocionais.”
Mais brincadeira, menos informação
“Criança tem que ter infância. Precisa brincar, e não ficar com uma agenda pré-estabelecida o tempo todo, com aulas variadas. É importante que criem brincadeiras, desenvolvendo a criatividade. Hoje, uma criança de sete anos tem mais informação do que um imperador romano. São informações desacompanhadas de conhecimento. Os pais podem e devem impor limites ao tempo que os filhos passam em frente às telas. Sugiro duas horas por dia. Se você não colocar limite, eles vão desenvolver uma emoção viciante, precisando de cada vez mais para sentir cada vez menos: vão deixar de refletir, se interiorizar, brincar e contemplar o belo.”
Parabéns!
“Em vez de apontar falhas, os pais devem promover os acertos. Todos os dias, filhos e alunos têm pequenos acertos e atitudes inteligentes. Pais que só criticam e educadores que só constrangem provocam timidez, insegurança, dificuldade em empreender. Os educadores precisam ser carismáticos, promover os seus educandos. Assim, o filho e o aluno vão ter o prazer de receber o elogio. Isso não tem ocorrido. O ser humano tem apontado comportamentos errados e não promovido características saudáveis.”
Conselho final para os pais
“Vejo pais que reclamam de tudo e de todos, não sabem ouvir não, não sabem trabalhar as perdas. São adultos, mas com idade emocional não desenvolvida. Para atuar como verdadeiros mestres, pai e mãe precisam estar equilibrados emocionalmente. Devem desligar o celular no fim de semana e ser pais. Muitos são viciados em smartphones, não conseguem se desconectar. Como vão ensinar os seus filhos e fazer pausas e contemplar a vida? Se os adultos têm o que eu chamo de síndrome do pensamento acelerado, que é viver sem conseguir aquietar e mente, como vão ajudar seus filhos a diminuírem a ansiedade?”
 Lilian Prada 
 http://mdemulher.abril.com.br/cultura/claudia/nunca-tivemos-uma-geracao-tao-triste

Elaine Saes

sexta-feira, 17 de junho de 2016

Diante de Tudo

Pais, avós, tios, padrinhos, evangelizadores, educadores, Somos Formadores...

Diante de tudo, estabelece Jesus para nós todos uma conduta básica, de que todas as providências exatas se derivam para a solução dos problemas no caminho da vida.
Sombra - Caridade da luz.
Ignorância - Caridade do ensino.
Penúria - Caridade do socorro.
Doença - Caridade do remédio.
Injúria - Caridade do silêncio.
Tristeza - Caridade do consolo.
Azedume - Caridade do sorriso.
Cólera - Caridade da brandura.
Ofensa - Caridade da tolerância.
Insulto - Caridade da prece.
Desequilibrio - Caridade do reajuste.
Ingratidão -  Caridade do esquecimento.

Diante de cada criatura, exerçamos a caridade do serviço e da bênção.
Todos somos viajores na direção da Vida Maior.
Doemos amor a Deus, na pessoa do próximo, e Deus, através do próximo, dar-nos-á mais amor.

Bezerra de Meneses
livro Caminho Espírita - Francisco Cândido Xavier

terça-feira, 31 de maio de 2016

Herculano Pires


José Herculano Pires foi o que podemos chamar homem múltiplo. Em todas as áreas do conhecimento em que desenvolveu atividades – dentro e fora do movimento doutrinário – sua inteligência superior iluminada pela doutrina espírita e pela cultura humanística brilhava com grande magnitude, fazendo o povo crescer espiritualmente.

Herculano Pires foi mestre em Filosofia da Educação na Faculdade de Filosofia de Araraquara e membro da Sociedade Brasileira de Filosofia. Presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de São Paulo e fundador do Clube dos Jornalistas Espíritas de São Paulo, que presidiu por longos anos. Diretor da União Brasileira de Escritores e vice- presidente do Sindicato dos Escritores de São Paulo. Presidente do Instituto Paulista de Parapsicologia (...). E, o que é mais importante:

Espírita desde os vinte e dois anos de idade, ninguém no Brasil e no estrangeiro mergulhou tão fundo nas águas cristalinas da Codificação Kardeciana e ninguém defendeu mais e com mais competência do que ele a pureza doutrinária (...)

(Do livro  J. Herculano Pires, o Apóstolo de Kardec,  de Jorge Rizzini)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...